As circunscrições municipais determinam, muitas das vezes, a extensão do território em estudo. Trabalhos à escala local reclamam uma qualidade da informação geográfica só conseguida em mapas de grande escala. A Mapoteca não dispõe dessa cartografia, por razões que se prendem, desde logo, com a disponibilidade de espaço para armazenar vastíssimos documentos produzidos, entre outros, pelos municípios portugueses, produtores por excelência desta informação.exemplo cartografia concelhia

Por outro lado, e como já foi referido, os requisitos tecnológicos das ferramentas de trabalho na área da Cartografia e dos Sistemas de Informação Geográfica reclamam a disponibilidade da cartografia de base em suporte digital.

As dificuldades e resistências várias na obtenção desta cartografia a esta escala e com este pormenor/qualidade são inúmeras. Os investimentos e esforços por parte dos Municípios é significativo e não são raros os casos em que, cientes do "valor" da informação que dispõem, os autarcas que se revelam (excessivamente) zelosos da mesma. Colocando à parte a disponibilidade desta informação pública importa reter dois pontos, para nós, de importância extrema:

  • o primeiro, e que se prende com o argumento avocado pela FLUP no contato com as Autarquias: "esta informação, a ser cedida, destina-se exclusivamente para fins académicos"! Ao assinarem um termo de responsabilidade no momento que acedem a esta informação, os nosso Utilizadores são avisados de que não podem usar a mesma para outros fins que não os trabalhos desenvolvidos no âmbito das disciplinas/projetos/investigações na FLUP nem a alienar a terceiros, sob pena de comprometerem, por sua inteira responsabilidade, a continuidade deste projeto. E mais se informam os mesmos que, finda a utilização da informação, poderão/deverão(?) partilhar os resultados do seu trabalho com o Município, num retorno de informação que traz vantagens claras para as duas partes;
  • o segundo, e que agiliza e facilita não só o aceso da nossa comunidade à informação como, e principalmente, liberta os Serviços das Câmaras Municipais do assédio constante permanentede que são alvo por parte da nossa comunidade académica solicitando-lhes esta mesma informação. Assim, Docentes, Discentes, Investigadores da FLUP devem, em primeiríssimo lugar, procurar na Mapoteca a informação que necessitam; estando esta disponível só têm de a requisitar segundo as normas em vigor e, caso a informação não esteja disponível, a Oficina do Mapa encarregar-se-á de despoletar o processo junto de cada Município.

Cartografia à escala concelhia disponível na Mapoteca em papel

A Mapoteca da FLUP não dispõe de cartografia à escala concelhia em suporte de papel. O seu arquivamento seria, por si só, incompatível com as disponibilidades de espaço neste Serviço. Contudo, a constituição de um arquivo de cartografia à escala concelhia em suporte digital é uma aposta e um projeto em implementação neste Serviço.

Cartografia à escala concelhia disponível na Mapoteca em formato digital

Para que a Mapoteca pudesse responder junto dos seus Utilizadores também no que respeita a cartografia ao nível concelhio, foram contactadas as diferentes autarquias, com o intuito de obter, junto das mesmas, a informação cartográfica ali produzida.

Os contatos realizados obedeceram, primeiramente, a uma lógica de proximidade geográfica à Universidade do Porto e, depois, a necessidades concretas e pontuais. Naturalmente, o objectivo é que, num espaço de tempo mais curto possível, esta mancha sobre o território nacional se alargue e se torne cada vez mais "verde".

Para vsualizar a área de cobertura da Cartografia à escala concelhia disponível disponível na Mapoteca e a informação cedida por cada município, clique na Região Norte, Centro ou Sul.

A transparência e formalização dos contatos era um ponto incontornável para uma Instituição como a FLUP, sensível e conhecedora dos esforços e custos que esta tipologia de informação acarreta para quem a produz e/ou detém. Assim, e através de protocolo, foi solicitada a cartografia geral disponível em formato digital - desconhecendo esta Faculdade a informação particular que as Câmaras dispunham e disponibilizariam - confiando no espírito de cooperação e partilha entre Instituições públicas.

Deverá ser frisada a notável reação, imediata e positiva, que a generalidade dos Concelhos manifestou, disponibilizando em formato raster ou formato vectorial, a informação geográfica solicitada.

A Faculdade de Letras da Universidade do Porto, através da Oficina do Mapa, reconhece e agradece a todas as Instituições que acederam a colaborar com esta Instituição fornecendo a informação que detinham. O seu contributo para o Ensino e Investigação realizado nesta Faculdade nas diferentes áreas científicas que tomam o conhecimento do território como condição fundamental e incontornável para a compreensão dos fenómenos que sobre ele decorrem, é inestimável.

Relembra-se aqui que a comunidade académica da FLUP subscreve e honra os compromissos assumidos e relembra aos visitantes e utilizadores que a informação geográfica aqui disponibilizada deverá ser utilizada numa esfera estritamente académica e que a deteção de qualquer irregularidade será prontamente participada à Instituição produtora/fornecedora que agirá de acordo com a lei.

 

 

 

 

 


DestaForma, Design e Multimédia

Oficina do Mapa © 2012 - Todos os direitos reservados - FLUP
Página InicialContactosPesquisaMapa do Site