António Maria Mourinho (1917-1995)


António Maria Mourinho
Breve biografia
Busto de António Maria Mourinho por José António Nobre
Grupo escultórico e estudo de implantação


 
A cultura mirandesa ao longo de uma vida
   Deve-se a António Maria Mourinho uma boa parte das iniciativas que permitiram a sobrevivência e preservação da língua, da cultura e do património histórico das Terras de Miranda. De facto, ao longo de muitas décadas lutou solitariamente contra o desinteresse generalizado pela cultura popular, mas a sua perseverança com que lutou deu frutos, bem espelhados na visibilidade nacional e internacional que conseguiu dar ao mirandês e às danças dos pauliteiros. As iniciativas sobre a língua e a cultura mirandesas que hoje se multiplicam prolongam um pouco mais a actividade seminal de António Maria Mourinho, daí que a nossa iniciativa de realizar um colóquio sobre o estado e o futuro dos estudos mirandeses não pudesse deixar de ser uma homenagem à sua memória.
    Profundamente dedicado à causa da cultura mirandesa, que conhecia como ninguém, António Maria Mourinho teve o mérito de escrever continuamente sobre os seus achados, faceta que aliava à capacidade de dinamização cultural e de organizador de eventos e instituições. Para além de estudos eruditos ou de divulgação,  publicou recolhas de narrativas orais em mirandês e os seus próprios textos literários e poéticos  (ver a exposição bibliográfica que lhe dedica um espaço próprio). A música, a dança e o teatro também mereceram a sua atenção, quer como estudioso, quer como organizador, quer como ensaiador/encenador. Para a sobrevivência da dança dos pauliteiros e da música da gaita de foles, contribuiu indelevelmente a sua iniciativa de refundar em 1945 o Grupo de pauliteiros de Miranda (Duas Igrejas-Cércio); após a democratização do país o interesse dos mirandeses pela sua própria cultura cresceu e hoje já quase não há nenhuma aldeia de Miranda que não tenha fundado o seu próprio grupo de pauliteiros.
    A marca mais perene de António Maria Mourinho é talvez o Museu das Terras de Miranda, fundado em 1982, por cuja criação lutou persistentemesnte e do qual viria a ser o primeiro Director (até 1995).

Uma breve biografia
António Maria Mourinho nasceu em Sendim em 14.02.1917. Em 1941 conclui o Seminário Maior em Bragança, onde começou por leccionar História de Portugal. Em 1942 é nomeado pároco da freguesia de Duas Igrejas em Miranda do Douro. Nesse mesmo ano apresenta em Lisboa alguns poemas em mirandês. Desde 1945 participa em acções de preservação patrimonial. Em 1945 funda o Grupo de pauliteiros de Miranda (Duas Igrejas-Cércio), que dirigirá até 1991. Encenou a apresentou Autos e peças em mirandês.  Nos anos sucessivos as suas actividades de investigador seriam desenvolvidas enquanto bolseiro de instituições científicas nacionais. Em busca das raízes da cultura mirandesa realizou diversos períodos de investigação em Espanha entre 1960 e 1970, não tendo chegado a publicar toda a documentação que descobriu mas de cuja existência foi dando conta em diversas publicações. Participou em múltiplos congressos e colóquio apresentando comunicações sobre os mais variados aspectos da cultura mirandesa: língua, etnologia, musicologia, aqueologia, arte, fontes monumentais e documentais, etc. Enquanto presidiu ao "Grupo Folclórico Mirandês de Duas Igrejas - Pauliteiros de Miranda" viajou um pouco por todo o mundo apresentando a cultura mirandesa. Entre 1962 e 1977 foi professor de diferentes disciplinas do Ciclo básico e do ensino liceal. Entre 1970 e 1975 frequentou e concluiu a licenciatura em História na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Toda esta actividade foi conciliada com a acção pastoral de pároco de Duas Igrejas. A seu pedido foi dispensado dos votos sacerdotais em 25.03.1993, mas para os que o conheciam continuou (e continua) a ser o "Padre Mourinho". Em 1995 participou ainda nas primeiras reuniões do grupo de académicos que tomou a seu cargo a elaboração da Convenção ortográfica da língua mirandesa. Condecorado por diversas vezes, era membro de inúmeras sociedades históricas e científicas. Faleceu em 1995.
 

Busto de António Maria Mourinho, da autoria do escultor José António Nobre, seu conterrâneo.


 

O modelo em gesso, realizado a partir do original em barro, estará na exposição bibliográfica paralela ao Colóquio Estudos mirandeses: balanço e prospectiva. (Biblioteca da Faculdade de Latras da Universidade do Porto, 26 de Março a 10 de Abril de 1999 - horário normal da Biblioteca: dias úteis das 9,00 às 19,30 horas)
 

O busto fundido em bronze será colocado em 1999 num jardim de Miranda do Douro, entre o antigo Paço episcopal e o Convento dos frades Trinos, futura Biblioteca Municipal.

Grupo escultórico e estudo de implantação, pelo escultor José António Nobre:


 
 

Imagens: José António Nobre (podem ser usadas para efeito de divulgação, desde que citada a sua autoria)
Scanning e composição gráfica a partir de fotografia (última imagem): A.F. Frias
 

© CEM.
Página por J.M.